sábado, 1 de julho de 2017

33. A expansão e as bandeiras no estado de São Paulo

   
A história das bandeiras realizadas nas três primeiras décadas do século XVII apresenta dois lados bastante conflitantes.
Os documentos históricos existentes revelam horrores de toda a natureza praticados principalmente contra os indígenas brasileiros, como a morte ou escravização de aproximadamente 500 mil índios, destruições de reduções jesuíticas e devastação de cidades. Por outro lado, esta mesma história vem coberta de lendas e interpretações que nos mostram estes homens como heróis, chamados de “raça de gigantes”, corajosos, desbravadores, que se tornaram os principais responsáveis pela expansão territorial do Brasil.
A origem da denominação bandeiras para as expedições organizadas por iniciativa de particulares, ou seja, sem o financiamento do governo português, nasceu do costume tupiniquim de levantar uma bandeira em sinal de guerra.
Neste período a colonização do Sul seguiu rumos diferentes daqueles usados no Norte do país. As notícias da existência de imensas riquezas minerais no interior do continente, como as encontradas no México e no Peru, despertaram a cobiça e o interesse pelas regiões do interior. A Argentina era conhecida como “terra da prata”, e o litoral sul do Brasil como “costa do ouro e prata”.
Inicialmente, alguns grupos começaram a se deslocar da capitania de São Vicente em busca de indígenas para os trabalhos na lavoura e passaram a entrar em choque com os aldeamentos organizados pelos jesuítas.

DEBRET, Jean-Baptiste. Soldados e índios de Curitiba levando selvagens presos. 1834.




DEBRET, Jean-Baptiste. Soldados e índios de Curitiba levando selvagens presos. 1834. Litografia, 32,6 cm x 21,2 cm. Século XIX.


A vila de São Paulo, situada na capitania de São Vicente, foi o principal centro irradiador das bandeiras, em razão de fatores econômicos, sociais e geográficos.
A população que vivia nesta região era pobre e isolada, sobrevivendo basicamente da lavoura de subsistência, sendo obrigados a produzir suas próprias ferramentas, armas, roupas, móveis e utensílios domésticos.
A utilização do indígena como escravo nas lavouras era a solução para a falta de mão de obra, já que não dispunham de capital para comprar o escravo negro africano. Gradativamente, o índio passou a ser uma mercadoria rentável, pois começou a ser vendido como escravo em outras capitanias, tornando o seu apresamento uma atividade importante e lucrativa.
A intensificação das bandeiras ocorreu partindo do planalto de Piratininga, aproveitando-se dos rios Tietê, Paraíba do Sul, Paraná e outros, que foram usados como vias naturais da penetração para o interior.

JÚNIOR, Almeida. Partida da Monção. 1897.



JÚNIOR, Almeida. Partida da Monção. 1897. Óleo sobre tela, 640 cm x 390 cm. Museu Paulista.


O bandeirismo tornou-se uma atividade importante, cuja técnica passava de pai para filho. Pouco a pouco foram se tornando verdadeiras povoações que se deslocavam e, como a expedição podia durar longos períodos, era preciso parar e fazer roças de mantimentos, o que ocasionava o surgimento de povoações na sua passagem.
As primeiras expedições de bandeirantes buscavam o apresamento de indígenas que pudessem ser vendidos como escravos, porém, em seguida, passaram a procurar metais e pedras preciosas.

O nome do rio Tietê é de origem tupi e significa “rio verdadeiro” ou de “águas verdadeiras”. Ele é um dos rios mais famosos do Brasil por cortar a cidade de São Paulo e o estado de sudeste a noroeste.





O nome do rio Tietê é de origem tupi e significa “rio verdadeiro” ou de “águas verdadeiras”. Ele é um dos rios mais famosos do Brasil por cortar a cidade de São Paulo e o estado de sudeste a noroeste.





       


       












Recomendamos para você:


Feels - Calvin Harris feat. Pharrell Williams, Katy Perry & Big Sean

Feels - Tradução em Português

Feels - La traducción en Español

Feels

Amor é fogo que arde sem se ver

Wild Thoughts - DJ Khaled feat. Rihanna & Bryson Tiller

Wild Thoughts - Tradução em Português

Wild Thoughts - La traducción en Español

Wild Thoughts - Song Lyrics

Slippery - Migos Featuring Gucci Mane

Bad And Boujee - Migos Featuring Lil Uzi Vert

Closer - The Chainsmokers ft. Halsey

Mask Off - Future

Chill Bill - Rob $tone ft. J. Davi$ & Spooks

Sanderlei Silveira

Amor é fogo que arde sem se ver - Luís Vaz de Camões

Marabá Poema - Gonçalves Dias

Canção do exílio - Gonçalves Dias

Versos íntimos - Augusto dos Anjos

Ismalia - Alphonsus de Guimaraens

Luís Vaz de Camões

Sanderlei Silveira

Odisséia PDF – Homero

Iracema PDF – José de Alencar

Biblia Sagrada PDF - João Ferreira de Almeida

Os Miseráveis PDF – Victor Hugo

Macunaíma PDF - Mário de Andrade

Sanderlei Silveira

Mein Kampf PDF (Minha Luta) - Adolf Hitler

O Diário de Anne Frank PDF

The Diary of a Young Girl PDF

Le Journal d'Anne Frank - PDF

Os Miseráveis PDF - Victor Hugo

Relevo no estado de Santa Catarina SC

Relevo do estado de São Paulo SP

Relevo do estado de Mato Grosso do Sul MS

Relevo do estado do Paraná PR

O espaço geográfico e sua organização

Feels - Calvin Harris feat. Pharrell Williams, Katy Perry & Big Sean

Feels - Tradução em Português

Feels - La traducción en Español

Wild Thoughts - DJ Khaled feat. Rihanna & Bryson Tiller

Wild Thoughts - Tradução em Português

Wild Thoughts - La traducción en Español

SONG LYRICS

BÍBLIA ONLINE

DOM CASMURRO

O Diário de Anne Frank – Fotos

HISTÓRIA

HISTORY

by Sanderlei Silveira -  http://sanderlei.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário